Discípulo de Cristo – 4ª Condição

Produzir frutos

Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão meus discípulos.

João 15:8

frutosTodo discípulo de Cristo é um ramo da videira que deve dar fruto. Jesus é a videira, é o ramo que deve sempre permanecer na videira para dar frutos, pois os ramos que não permanecem na videira são jogados fora e secam.

Uma videira tem como função produzir frutos. Jesus nos exorta a produzir muitos frutos, mas quais são os frutos devemos produzir?

Justiça:  Hebreus 1:11

Boas obras:  Colossenses 1:10

Partilhar com os mais necessitados: Romanos 15:28

Louvar a Deus: Hebreus 13:15

Ganhar almas: Provérbios 11:30, João 4:36, Romanos 1:13

Mas para que uma videira produza bons frutos e frutos em abundância é necessário a poda de tudo o que possa desviar a força vital da produção. A poda é dolorosa, mas necessária porque muitas coisas sugam nossa força e nos impedem ter uma boa produção. Mas também para que haja produção de fruto é necessário que o ramo permaneça na videira (Jo 15:4). Se este ramo não permanecer na videira, o próprio ramo murcha e morre.

Certa vez Jesus estava indo para Jerusalém e teve fome. Ele olhou para uma figueira e viu muitas folhas. Ele foi procurar fruto e não achou. Aquela figueira anunciava fruto, mas não tinha fruto. Então, Jesus a fez secar. Ela nunca mais produziu fruto.

Fruto é o que o Senhor espera de nós e não folhas. Ele não se contenta com a aparência, mas com o fruto.

André Ricardo Bernini

Leia também:

1ª Condição: Deus em primeiro lugar

2ª Condição: Permanecer na palavra de Deus

3ª Condição: Amar uns aos outros

Discípulo de Cristo – 3ª Condição

Amar uns aos outros

“Um novo mandamento dou a vocês: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros”

João  13:34-35

amor ao proximoO amor é mais que uma condição, é um mandamento, ou o maior de todos os mandamentos deixados a nós por Jesus Cristo.  Jesus disse: “Amem-se uns aos outros, como eu os amei”.

Como Jesus nos amou?

Nos amou a ponto de deixar a sua glória, desceu a este mundo, se fez homem, servo, foi perseguido, sofreu e foi pregado em uma cruz. Tudo isso por você e por mim, só por AMOR! É este amor que Cristo nos pede para termos uns pelos outros. Um amor que não pede nada em troca, um amor humilde, um amor perseverante, sem preconceito, um amor capaz de servir até mesmo aquele que se diz seu inimigo, um amor de graça!

Esta é a grande marca de um discípulo de Cristo, o amor pelo seu próximo. É esse amor que fará seus olhos brilharem de maneira diferente, que o diferenciará dos que ainda não são discípulos de Cristo.

Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine. Ainda que eu tenha o dom de profecia, saiba todos os mistérios e todo o conhecimento e tenha uma fé capaz de mover montanhas, se não tiver amor, nada serei. Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me valerá.

1 Co 13:1-3
André Ricardo Bernini

Leia também:

1ª Condição – Deus em primeiro lugar

2ª Condição – Permanecer na palavra de Deus

4ª Condição – Produzir frutos

 

Discípulo de Cristo – 2ª Condição

Permanecer na palavra de Deus

Disse Jesus aos judeus que haviam crido nele: “Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos. E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará”

João 8:31-32

palavra de deusO permanecer na palavra de Deus tem como resultado a liberdade, a completa liberdade espiritual da escravidão do pecado. Quando permanecemos na palavra e aplicamos suas verdades e valores, começamos a nos ver de forma diferente, passamos a enxergar os outros de forma diferente; nossos valores e atitudes são mudados, nossas prioridades são alteradas. Vale lembrar aqui que a verdade é uma referência a Jesus (“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” João 14:6). E sua verdade é revelada a nós por meio de sua palavra.

Muitos dos que ouviram de Cristo esta passagem de João 8:31-32, estavam seguindo a Cristo somente por intenção de uma benção, por isso Jesus diz que aqueles que permanecerem firmes serão os verdadeiros discípulos – eles queriam a benção, mas não o abençoador! O verdadeiro discípulo, não é aquele que só busca a Cristo no momento de aflição ou necessidade, o verdadeiro discípulo está sempre em comunhão com Cristo, busca muito mais que bênçãos, busca um relacionamento íntimo e permanente com Ele.

É necessário entender que simplesmente ler sobre a verdade de Deus na bíblia não é suficiente; somente quando nós recebemos a verdade, a amamos, seguimos seu ensino e andamos nela, é que estamos seguindo o caminho de um verdadeiro discípulo de Cristo.

Mas, se alguém obedece à sua palavra, nele verdadeiramente o amor de Deus está aperfeiçoado. Desta forma sabemos que estamos nele: aquele que afirma que permanece nele deve andar como ele andou.

1 João 2:5-6
André Ricardo Bernini

Leia também:

1ª Condição – Deus em primeiro lugar

3ª Condição – Amar uns aos outros

4ª Condição – Produzir frutos

Discípulo de Cristo

missao

Gostaria de convidá-los a refletir um pouco a respeito do papel “seguir a Cristo”, ou seja, ser CRISTÃO! Porém, muito mais que seguir a Cristo, o discípulo é o aprendiz que deseja e busca ser o mais parecido possível como seu mestre. Mas será que todos os que se dizem Cristãos são verdadeiros discípulos de Cristo?

A partir de hoje e durante mais 3 dias publicaremos uma reflexão sobre as 4 condições de um verdadeiro discípulo de Cristo. E diante de cada uma delas, convidamos a cada um olhar com muita sinceridade para dentro de si mesmo, refletindo sobre atitudes, ações e comprometimentos para, por fim, podermos concluir se já somos discípulos ou o que nos falta para nos tornarmos verdadeiros discípulos de Cristo.

Pai amado, peço que todos aqueles a quem esta mensagem chegar, sejam motivados a ler e refletir sobre essas condições e que tudo aquilo que não esteja conforme a sua vontade na vida desse seus filhos seja transformado pelo poder do Espírito Santo em nome de Jesus Cristo. Amém!

 

1ª Condição

Deus em primeiro lugar

“Se alguém vem a mim e ama seu pai, sua mãe, sua mulher, seus filhos, seus irmãos e irmãs e até sua própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo. E aquele que não carrega sua cruz e não me segue não pode ser meu discípulo”

Lucas 14:26-27

 

Discípulo é aquele que segue, neste caso, aquele que segue aos ensinamentos de Cristo. Por isso que, em primeiro lugar, para ser um discípulo de Jesus é necessário amar a Ele acima de tudo. Jesus afirma que ninguém poderá ser seu discípulo se amar alguém ou qualquer coisa mais do que a Ele. Jesus não está dizendo que não podemos amar aos nossos familiares, mas Ele deve vir sempre em primeiro lugar.

Também afirma que devemos carregar a nossa cruz, mas o que vem a ser “carregar a nossa cruz”? É aceitarmos quem somos, nossas limitações, nossos problemas, nossas dificuldades, nos achegarmos a Ele e o seguirmos do jeito que nós somos e estamos no momento, porque ele vai fazer nossa transformação no decorrer do caminho. Enfim, todos temos uma cruz –  não adianta ficar lamentando, é nossa cruz, temos que aceitá-la e carregá-la.

E ainda Ele diz: “Aquele que não me segue não pode ser meu discípulo”. Jesus foi muito claro aqui. Oras, como posso ser um discípulo (= seguidor) se não o sigo? Se dizemos que somos cristãos, então temos que seguir a Cristo. Mas não seguir apenas nominalmente, temos que seguir de fato e com atos, respeitar e aplicar os seus princípios e ensinamentos, permitir que nos tornemos a cada dia mais parecidos com Ele.

O discípulo não está acima do seu mestre, mas todo aquele que for bem preparado será como o seu mestre.

Lucas 6:40

Jesus é nosso grande mestre e todos nós fomos chamados por Ele para sermos seus discípulos, mas cabe a nós permitir que Ele nos prepare!

André Ricardo Bernini

Leia também:

2ª Condição – Permanecer na palavra de Deus

3ª Condição – Amar uns aos outros

4ª Condição – Produzir frutos

PREENCHENDO O VAZIO

VAZIO
Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!
Efésios 3:20,21

Deus nos fez com alguns vazios dentro da gente. Por conta disso, vivemos em uma busca de algo que não sabemos bem ao certo o que é. Grande parte das pessoas almeja ter bens materiais, como uma bela casa e um carro, não qualquer carro, mas O carro. Porém, esse alvo sempre muda de lugar no exato momento em que se consegue atingi-lo. É uma busca infinita quando se tenta completar o vazio com algo que nunca será preenchido com coisas.

Pense na sua vida hoje, e veja o quanto Deus já fez, o quanto você já cresceu. Nós, seres humanos imperfeitos, temos a tendência de estarmos insatisfeitos, sempre buscando algo mais. Isso não é ruim quando pensamos em sermos melhores servos, melhores cristãos, amando mais, perdoando mais, buscando preencher o vazio com o amor philos, que é o amor fraternal e o ágape, que é o amor de Deus, como disse Jesus:

Respondeu Jesus:
Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração,
de toda a sua alma e de todo o seu entendimento.
Este é o primeiro e maior mandamento.
E o segundo é semelhante a ele: Ame o seu próximo como a si mesmo.”
Mateus 22:37-39

 

Pai, que possamos confiar mais nos seus planos para nós. Tudo o que pedimos ou pensamos está muito aquém do que tens para cada um, por isso te peço que os Seus planos sejam cumpridos em minha vida.

Daniele Mary Ashikaga Bernini

Não por sabedoria, mas pelo poder de Deus!

Por Pastor Paschoal Piragine Jr

TR_12_7_14Jesus causou uma transformação na vida de Paulo, que passou de perseguidor da Igreja a mártir da fé. Por isso, vamos tentar aprender com ele as lições que suas marcas de transformação têm a nos ensinar.

Quando Deus nos transforma, as pessoas precisam de tempo e de atitudes nossas para que creiam em nossa transformação. No início de sua jornada como uma pessoa transformada por Cristo, Paulo sempre foi visto como um perseguidor dos cristãos, pois até Ananias e os apóstolos tiveram dificuldade em crer. Todas as pessoas que conhecem alguém que foi transformado por Jesus precisam de tempo para que possam confiar nele. Para que possam esquecer o velho homem necessitam que novas atitudes mostrem a maturidade espiritual em sua vida.

Nossas maiores virtudes podem se tornar em nossos maiores defeitos. Precisamos aprender com Paulo que ousadia, foco na missão sem o tempero da graça e do amor de Jesus se tornam em obstáculos à missão. Tornaram-se como tratores que ao construírem algo, deixam a sua marca de destruição por onde passaram. Agora com o tempero da graça, essa mudança aparece naturalmente.

Com o passar do tempo, Paulo foi compreendendo que a força de convencimento de suas mensagens não vinha de seu conhecimento humano, mas por meio do poder de Deus que se manifestava poderosamente no coração das pessoas. Ele entendeu que precisava da visão de Deus, e suas ações deveriam ser condizentes com o conhecimento da Palavra e do enchimento, da ousadia e do poder do Espírito Santo.

Quando você esta focado na missão dada por Deus, o inimigo do Senhor tentará entulhar a sua vida com tantas coisas para que perca o foco da sua real missão. Nesta hora, você tem que aprender a dizer não ou até a rever as suas reais motivações. Se perder o foco certamente perderá o impacto e o alcance projetado por Deus.


Leituras do dia:

1 Coríntios 2:1-5
1Eu mesmo, irmãos, quando estive entre vocês, não fui com discurso eloquente nem com muita sabedoria para proclamar o mistério de Deus. 2Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este crucificado. 3E foi com fraqueza, temor e com muito tremor que estive entre vocês. 4Minha mensagem e minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria, mas em demonstração do poder do Espírito, 5para que a fé que vocês têm não se baseasse na sabedoria humana, mas no poder de Deus.
2 Timóteo 4:5
5Você, porém, seja moderado em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério.
Filipenses 1:20
20Aguardo ansiosamente e espero que em nada serei envergonhado. Ao contrário, com toda a determinação de sempre, também agora Cristo será engrandecido em meu corpo, quer pela vida, quer pela morte;

Assista o vídeo:

IMPACTANDO UMA GERAÇÃO – Plano de leitura elaborado por:
Pastor Paschoal Piragine Jr – Primeira Igreja Batista de Curitiba

Persistência e fé

mulher-rezando-645x300Através da vida de Eliseu vemos que muitos milagres que ele operou são quase idênticos aos milagres de Jesus. Em 2 Reis 4:8-37, Eliseu opera um destes milagres similares na cura do filho da mulher Sunamita. Quando Eliseu encontra a mulher pela primeira vez, ele está tão radiante pela sua bondade e hospitalidade que ele decide recompensá-la com o que ele pensou que ela mais queria, um filho. Deus dá um filho à mulher, mas anos depois ele morre, e a mulher pede ajuda a Eliseu para trazê-lo de volta à vida. Há duas coisas interessantes sobre essa passagem. A primeira é a maneira extravagante com que Eliseu tenta ressuscitar o filho, deitando sobre ele boca-a-boca, olhos-em-olhos e mãos-em-mãos. A segunda é o fato de que os esforços de Eliseu para ressuscitar o filho não tiveram sucesso na primeira vez.

Quantas vezes você esteve nesta situação de Eliseu? Você está pedindo para Deus fazer algo e sabe que Ele pode fazê-lo, mas nada acontece na primeira vez que você pede. Pode demorar dias, meses ou até anos. Não desista quando não tiver sucesso na primeira vez. Continue orando. Continue buscando a Deus. Ele irá responder a sua oração da maneira e no tempo que são melhores para você. Não perca seu coração e continue orando. O que você tem pedido a Deus que Ele ainda não respondeu? O que você pode fazer para garantir que você não irá desistir de pedir e buscar a Deus através da oração por este pedido?


Leitura do dia: 2 Reis 4:8-37 (NVI)
8Certo dia, Eliseu foi a Suném, onde uma mulher rica insistiu que ele fosse tomar uma refeição em sua casa. Depois disso, sempre que passava por ali, ele parava para uma refeição. 9Em vista disso, ela disse ao marido: “Sei que esse homem que sempre vem aqui é um santo homem de Deus. 10Vamos construir lá em cima um quartinho de tijolos e colocar nele uma cama, uma mesa, uma cadeira e uma lamparina para ele. Assim, sempre que nos visitar ele poderá ocupá-lo”. 11Um dia, quando Eliseu chegou, subiu ao seu quarto e deitou-se. 12Ele mandou o seu servo Geazi chamar a sunamita. Ele a chamou e, quando ela veio, 13Eliseu mandou Geazi dizer-lhe: “Você teve todo este trabalho por nossa causa. O que podemos fazer por você? Quer que eu interceda por você ao rei ou ao comandante do exército?” Ela respondeu: “Estou bem entre a minha própria gente”. 14Mais tarde Eliseu perguntou a Geazi: “O que se pode fazer por ela?” Ele respondeu: “Bem, ela não tem filhos, e seu marido é idoso”. 15Então Eliseu mandou chamá-la de novo. Geazi a chamou, ela veio até a porta, 16e ele disse: “Por volta desta época, no ano que vem, você estará com um filho nos braços”. Ela contestou: “Não, meu senhor. Não iludas a tua serva, ó homem de Deus!” 17Mas, como Eliseu lhe dissera, a mulher engravidou e, no ano seguinte, por volta daquela mesma época, deu à luz um filho. 18O menino cresceu e, certo dia, foi encontrar-se com seu pai, que estava com os ceifeiros. 19De repente ele começou a chamar o pai, gritando: “Ai, minha cabeça! Ai, minha cabeça!” O pai disse a um servo: “Leve-o para a mãe dele”. 20O servo o pegou e o levou à mãe. O menino ficou no colo dela até o meio-dia e morreu. 21Ela subiu ao quarto do homem de Deus, deitou o menino na cama, saiu e fechou a porta. 22Ela chamou o marido e disse: “Preciso de um servo e de uma jumenta para ir falar com o homem de Deus. Vou e volto logo”. 23Ele perguntou: “Mas por que hoje? Não é lua nova nem sábado!” Ela respondeu: “Não se preocupe”. 24Ela mandou selar a jumenta e disse ao servo: “Vamos rápido; só pare quando eu mandar”. 25Assim ela partiu para encontrar-se com o homem de Deus no monte Carmelo. Quando ele a viu a distância, disse a seu servo Geazi: “Olhe! É a sunamita! 26Corra ao seu encontro e pergunte a ela: ‘Está tudo bem com você? Tudo bem com seu marido? E com seu filho?” Ela respondeu a Geazi: “Está tudo bem”. 27Ao encontrar o homem de Deus no monte, ela se abraçou aos seus pés. Geazi veio para afastá-la, mas o homem de Deus lhe disse: “Deixe-a em paz! Ela está muito angustiada, mas o Senhor nada me revelou e escondeu de mim a razão de sua angústia”. 28E disse a mulher: “Acaso eu te pedi um filho, meu senhor? Não te disse para não me dar falsas esperanças?” 29Então Eliseu disse a Geazi: “Ponha a capa por dentro do cinto, pegue o meu cajado e corra. Se você encontrar alguém, não o cumprimente e, se alguém o cumprimentar, não responda. Quando lá chegar, ponha o meu cajado sobre o rosto do menino”. 30Mas a mãe do menino disse: “Juro pelo nome doSenhor e por tua vida que, se ficares, não irei”. Então ele foi com ela. 31Geazi chegou primeiro e pôs o cajado sobre o rosto do menino, mas ele não falou nem reagiu. Então Geazi voltou para encontrar-se com Eliseu e lhe disse: “O menino não voltou a si”. 32Quando Eliseu chegou à casa, lá estava o menino, morto, estendido na cama. 33Ele entrou, fechou a porta e orou ao Senhor. 34Depois deitou-se sobre o menino, boca a boca, olhos com olhos, mãos com mãos. Enquanto se debruçava sobre ele, o corpo do menino ia se aquecendo.35Eliseu levantou-se e começou a andar pelo quarto; depois subiu na cama e debruçou-se mais uma vez sobre ele. O menino espirrou sete vezes e abriu os olhos. 36Eliseu chamou Geazi e o mandou chamar a sunamita. E ele obedeceu. Quando ela chegou, Eliseu disse: “Pegue seu filho”. 37Ela entrou, prostrou-se a seus pés, curvando-se até o chão. Então pegou o filho e saiu.

YouVersion - Eliseu: Um conto de uma fé extravagante